:. Cadastro de Noticias

 

Pandemia Covid-19
O SINDICATO NA LUTA PELA SAÚDE E VIDA DOS TRABALHADORES
sem imagem

Uma ação decisiva e vital do STEFEM está garantindo aos ferroviários maior urgência no processo de vacinação contra a Covid.

O Sindicato oficiou à Vale a necessidade da sua pronta atuação junto aos governos de Estado do Maranhão, Prefeitura de São Luís e demais executivos nas cidades que abrangem a atuação dos trabalhadores ferroviários, para que a categoria fosse colocada como prioridade para receber as vacinas de proteção contra a pandemia.

Lembramos à empresa e autoridades de governos a urgência do atendimento ao grupo de cerca de 74 mil trabalhadores, que atuam com grande contato com o público em enormes distâncias e atravessando vários estados na atividade ferroviária.

O governador Flávio Dino respondeu positivamente ao pleito do Sindicato e chegou inclusive a publicar pessoalmente a programação de vacinação dos ferroviários.
Desde o início da pandemia de Covid-19, o Sindicato vem participando ativamente, apontando setores que exigiam proteção mais cuidadosa, estendendo medidas de isolamento, de assepsia e de controle para coibir o avanço da doença, tanto nas negociações com as empresas, mas também com as autoridades de saúde.

Estamos longe de flexibilizar o nível de vida que estávamos acostumados, exigindo total rigor para não contrairmos a doença e eliminar todos os focos de infecção pelo vírus.

Alertamos todos os trabalhadores, inclusive os já vacinados, para continuarmos empenhados na solidariedade de proteger coletivamente a população, nos mantendo com uma postura responsável e superarmos esta tragédia, que já vitimou quase 440 brasileiros em todo o País.

COMO SERÁ A VACINAÇÃO

Os ferroviários que moram em São Luís e são da FTL, da VLI ou Vale basta que se cadastrem no site da Prefeitura. Devem conferir as datas e comparecerem munidos de contracheque e documento com foto, para serem vacinados.

São aplicadas atualmente três vacinas no Brasil: Coronavac, Astrazênica e Pfizer. Esta última, em função de condições especiais em baixas temperaturas, está sendo distribuída mais para as capitais, que têm estruturas de armazenamento adequadas, como é o caso de São Luís.

          

[+] Veja mais noticias              Voltar para página inicial