:. Cadastro de Noticias

 

Negociações Salariais
STEFEM OFICIALIZOU À VALE A PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PARA ACORDO COLETIVO
sem imagem

STEFEM oficializou à Vale a “Pauta de Reivindicações” da categoria, visando as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020, cuja data-base é em 1º de novembro.

Por decisão das assembleias, reivindicamos a manutenção das cláusulas do ACT 2018/2019, sendo propostas novas redações, de forma a garantir o que já está acordado. Nas cláusulas que representam valor econômico, reivindicamos que os mesmos sejam reajustados pelo INPC acumulado em 12 meses, acrescidos de ganho real.

Para os salários, reivindicamos o INPC integral mais 3% de ganho real e abrimos luta para que o piso salarial na empresa passe a ser de R$ 4.044,58, valor calculado pelo Dieese para atender as necessidades de um salário mínimo.

Ressaltamos como principais cláusulas econômicas, um abono no valor de R$ 3.000,00 e o cartão alimentação de R$ 1.213,83, devendo ser pago dobrado em dezembro.

Ainda nas cláusulas econômicas, nossa pauta reivindicou que na negociação da Participação nos Lucros e Resultados a empresa se comprometa em anistiar o adiantamento de resultados de anos anteriores.

Buscamos ainda a elevação nos percentuais de remuneração de horas extras, passando a 100% para as duas primeiras; 110% a partir da terceira; e 120% nas horas trabalhadas durante repouso semanal, feriados, dias de folga e outros que não sejam no expediente normal.

GARANTIA DE EMPREGO

Este é um dos nossos principais pontos de pauta, para neutralizar os efeitos da severa ameaça que se abateu sobre os trabalhadores da Vale, após as tragédias recentes com barragens. Neste sentido, reivindicamos a manutenção do mesmo número de postos de trabalho a partir de novembro de 2019 e a proibição da terceirização em nossas atividades fins, em cumprimento da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Diante ainda das inseguranças e ameaças das reformas do Governo, reivindicamos que a empresa garanta o emprego no período de 36 meses anteriores à complementação de tempo para a aposentadoria. Solicitamos para os trabalhadores nesta condição, o pagamento de uma gratificação de 10% ao ano. Reivindicamos também a garantia de emprego de 180 dias para gestantes após o período de licença maternidade e de 60 dias ao pai, a partir do nascimento do filho.

Nesta luta contra o desemprego, a categoria reivindicou da empresa a manutenção dos postos de trabalho e realocar trabalhadores de áreas onde for introduzida inovação tecnológica, automatização ou robotização, assegurando não apenas os empregos, mas também a segurança, saúde, meio ambiente e integridade físico-psíquica dos trabalhadores.

Destacamos também reivindicações de extrema importância, como a implantação de um Plano de Carreiras, Cargos e Salários, através de discussão com o Sindicato, para tornar possível e transparente o crescimento profissional dentro da empresa, regulamentar movimentação de cargos e promoção anual por antiguidade e merecimento, sendo o Plano de Cargos uma dos principais instrumentos para coibir acúmulo e desvios de função.

Por último, queremos destacar a grande preocupação da categoria com a assistência à saúde, tratamento odontológico, formação educacional e qualificação profissional. Na pauta, passamos por todas as cláusulas que dizem respeito aos cuidados de baixo e alto risco com a saúde, buscando maior proteção para os trabalhadores e familiares.

A íntegra da “Pauta de Reivindicações” pode ser lida nas páginas 4 a 6 deste informativo.

          

[+] Veja mais noticias              Voltar para página inicial